Ponta Grossa (PR) se despede do 18º Encontro Nacional de Professores de Jornalismo

Felipe Adam. Colaboração de: Hellen Scheidt e Thaiz Rubik - 29/04/2019 | 15:34:00

Os mais de cem pesquisadores que estiveram presentes na Universidade Estadual de Ponta Grossa (UEPG) e no Centro Universitário Santa Amélia (UniSecal) nos dias 25, 26 e 27 de abril apresentaram 59 trabalhos que compartilharam mudanças nas grades do cursos de graduação, tendências a respeito das novas mídias integradas ao exercício da profissão e projetos positivos no desenvolvimento do ensino do jornalismo.

Como resultado do evento, a Associação Brasileira de Ensino de Jornalismo (Abej) promoveu uma assembleia-geral ordinária onde os professores discutiram as propostas levantadas ao longo do evento. Além disso, leu-se a Carta de Ponta Grossa, documento que reitera a insatisfação com as políticas públicas do governo federal e estadual a respeito da redução drástica dos investimentos, o que reflete o baixo incentivo e qualificação dos programas. A carta indicou a falta de clareza da avaliação dos programas e uma urgente avaliação das políticas governamentais em relação à ciência.

Dos 59 trabalhos submetidos, apenas seis não foram apresentados. Para as próximas edições, quatro sugestões: painel de acessibilidade aos alunos com deficiência, inclusão de uma oficina sobre metodologias de ensino, fusão dos GT’s Laboratórios Impresso e Eletrônico, além de um encaminhamento de atualização das ementas e dos títulos dos GT’s.

“Estamos muito satisfeitos com 18º ENPJ. Mesmo sendo realizado no interior e com poucos recursos, o evento foi um sucesso, não apenas pela quantidade de trabalhos, representantes de todas as regiões, mas pela qualidade dos debates. Esperamos ter contribuído para fortalecer a formação superior em jornalismo”, aponta o presidente da Abej, Marcelo Engel Bronosky.

Na oportunidade, os professores Dennis de Oliveira e Erivam Morais de Oliveira sugeriram a nova sede para o próximo encontro. Segundo os docentes, a proposta é de que a 19ª edição ocorra nos dias 6, 7 e 8 de abril de 2020, na cidade de São Paulo (SP). Assim, o ENPJ seria sediado pelas universidades ECA-USP e ESPM entre outras instituições parceiras.

25 de abril (quinta-feira)

As atividades de quinta-feira ocorreram na UEPG. Às 9h, os professores Dra. Sandra Fischer (Programa de Pós-Graduação em Comunicação e Linguagens/UTP), Dra. Paula Melani Rocha (Programa de Pós-Graduação em Jornalismo/UEPG), Dra. Valquíria Michela John (Programa de Pós-Graduação em Comunicação/UFPR), Dr. Alberto Carlos Augusto Klein (Programa de Pós-Graduação em Comunicação/UEL) se reuniram na sala B-108 a fim de participar do Fórum Paranaense de Programas de Pós-Graduação de Comunicação. Enquanto isso, na sala A-17, os alunos acompanhavam a palestra Mídia Independente no Paraná: A experiência na agencia Livre.jor com os jornalistas Alexsandro Teixeira e José Lazaro Ferreira Barros Junior. À tarde, a professora Maria José Braga discursou a respeito de como preservar o Jornalismo frente às inovações tecnológicas. No vespertino ocorria a primeira oficina do encontro: Jornalismo e base de dados.

Na quinta à noite, realizou-se a conferência de abertura com a presença da professora colombiana, Dra. Lina Manrique Villanueva. Na fala, “Experiências e desafios do ensino do Jornalismo na América Latina". Em seguida, o vice-diretor científico da Abej, Dr Guilherme Carvalho, anunciou a Personalidade de Destaque no Ensino de Jornalismo. A escolhida foi a professora Alice Mitika Koshiyama, graduada em Jornalismo e História, mestrado em Ciências da Comunicação e doutorado em Literatura Brasileira. Desde 1998, quando se aposenta do Departamento de Jornalismo e Editoração da ECA-USP, Alice atua como professora colaboradora, mantendo todas as atividades didáticas na graduação de Jornalismo e na Pós-Graduação como professora-orientadora. Atualmente Alice Mitika é colaborador da Universidade de São Paulo, como 'Professora Doutora Senior'.

26 de abril (sexta-feira)

No segundo dia, as atividades continuaram na UEPG. De manhã, houve a campanha institucional das novas edições da Revista Brasileira de Ensino de Jornalismo (Rebej). Na oportunidade, o professor Dr Guilherme Carvalho lembrou que o periódico recebe artigos, relatos de experiência e resenhas até o dia 31 de maio de 2019 para a edição número 24, a ser publicada ainda este semestre. Interessados devem seguir as normas para publicação e enviar o trabalho via sistema em http://www.fnpj.org.br/rebej/ojs/index.php/rebej/about/submissions. Adiante, ocorreu o 9º Encontro Abej de Coordenadores de Curso de Jornalismo sob a temática “A qualidade na formação superior em jornalismo e os impactos das DCNs - avanços e recuos”. Na ocasião, os coordenadores avaliaram questões estratégicas às grades dos cursos, como é o caso do estágio. Enquanto isso, o jornalista André Salamucha palestrava aos alunos sobre Jornalismo de TV.

À tarde, deu-se início ao 14º Ciclo Nacional de Pesquisas em Ensino e Extensão em Jornalismo, com a apresentação de trabalhos nos seis grupos de pesquisa - Atividades de Extensão, Ensino de Ética e Teorias do Jornalismo, Pesquisa na Graduação, Produção Laboratorial: Eletrônicos, Produção Laboratorial: Impressos, Projetos Pedagógicos e Metodologias de Ensino. Paralelo ao ciclo, o jornalista Felipe Adam ministrava a oficina Histórias de vida: Como escrever textos de perfil. À noite, enquanto a UEPG sediava a oficina Jornalismo de TV: produção e reportagem, comandada pelo jornalista Dyepeson Martins da Silva, a UniSecal oferecia aos alunos uma conversa com a também jornalista Vanessa Hrenechen sobre Assessoria de imprensa: o papel da comunicação na gestão de crises.

“Ao longo dos últimos três dias (25, 26 e 27) os professores, jornalistas, estudantes de graduação e pós-graduação tiveram a oportunidade de debater os caminhos para a formação superior em jornalismo, com os principais problemas. Sem dúvida nenhuma fazer reflexões sobre a formação em jornalismo na atual conjuntura política, econômica brasileira é um desafio e um ato de resistência”, reforça a coordenadora local do evento, professora Cintia Xavier.

27 de abril (sábado)

No sábado, as atividades foram realizadas na UniSecal. De manhã, dois painéis: às 8h30, a curricularização da extensão nos cursos de jornalismo, com os professores Dra. Sandra de Deus e Karina Janz Woitowicz e às 10h, os impactos das DCNs na formação superior em jornalismo e no mercado profissional, debatidos pelo Dr. Eduardo Medistch, Dr. Dennis Oliveira e Dra. Roseméri Laurindo. Durante o turno matutino, houve ainda a oficina Áudio-Vídeo-Reportagem, com o professor Erivam Oliveira. Já à tarde ocorreu a segunda etapa do 14º Ciclo Nacional de Pesquisas em Ensino e Extensão em Jornalismo.

“Como instituição parceira da ABEJ, ficamos muito felizes em poder, juntamente com a UEPG, receber o evento e os professores do Brasil todo. Saímos muito mais fortalecidos como categoria e os aprendizados serão, com certeza, colocados em práticas nas salas de aula, fazendo refletir na qualidade do ensino e, consequentemente, na qualidade da notícia que chega à população”, pontua o coordenador de Jornalismo da UniSecal, professor Dr Helton Costa.