Abej participa de Seminário da Ensicom com representante do Inep

Roseméri Laurindo, Marcelo Bronosky - 04/09/2019 | 14:31:00

Evento ocorreu no último dia 03 como parte do 42º Congresso da Intercom ocorrido em Belém-PA
A professora Roseméri Laurindo, da diretoria executiva da Abej, participou do seminário organizado pela Ensicom, como uma das atividades do Congresso Brasileiro de Ciências da Comunicação -  Intercom realizado em Belém – Pará na entre os dias 02 e 07 de setembro. Além da professora, o seminário contou com a representante do Inep - Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira, Ana Carolina de Aguiar Moreira Oliveira. Nesta oportunidade, a Abej apresentou dados a respeito da necessidade de haver coerência entre as Diretrizes Curriculares Nacionais (DCNs) para o ensino superior em jornalismo e os instrumentos de avaliação usados pelo Inep, para autorização dos cursos de educação a distância. 
Laurindo é professora do curso de jornalismo da Universidade Regional de Blumenau - FURB-SC.  “Estamos diante de duas modalidades de ensino ou de dois tipos de diplomas diferentes?” indagou Roseméri Laurindo ao apresentar dados sobre educação a distância. Ana Carolina Oliveira, do Inep, por sua vez, acredita que o sistema avaliativo nacional pode impedir a continuidade de cursos de baixa qualidade. Segundo ela, os critérios são revisados constantemente e o balizador principal para todo o sistema são as DCNs. No evento houve também a apresentação nacional da proposta de revisão das DCNs em Publicidade e Propaganda.
O Congresso Intercom é um dos maiores eventos científicos da América Latina. Este ano reúne durante uma semana em Belém mais de 2.500 acadêmicos em minicursos, mostras, prêmios, colóquios internacionais, grupos de pesquisa, reuniões. 
Várias atividades do Intercom têm desdobramentos nacionais, a exemplo da finalização da proposta para as novas DCNs de Publicidade e Propaganda. O professor Eneus Trindade Barreto Filho, da Associação de Pesquisadores em PP e pesquisador da USP, apresentou o documento fruto de trabalho realizado por comissão nacional de especialistas desde 2016, com várias audiências públicas e que agora será entregue ao Conselho Nacional de Educação. Preocupados com sistemas de reclassificação de cursos orientados pela Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Econômico (OCDE) e assumidos por órgãos governamentais no Brasil, os especialistas defenderam que Publicidade e Propaganda se constitui como curso específico pertencente ao campo científico da Comunicação, assim como Jornalismo, Relações Públicas, Rádio, TV e Internet.