Operação Lava Jato: estratégias discursivas acionadas pelos campos jurídico e jornalístico

  • Rejane de Oliveira Pozobon
  • Kauane Andressa Müller
Palavras-chave: Argumentação. Cobertura jornalística. Campo jornalístico. Acontecimento. Operação Lava Jato.

Resumo

Este artigo analisa as estratégias discursivas dos campos jurídico e jornalístico na operação Lava Jato. O corpus de análise é composto pelas matérias publicadas pelos jornais O Globo e Folha de S.Paulo sobre a divulgação, em 17 de maio de 2017, da existência de uma gravação que incriminava o presidente Michel Temer e o senador Aécio Neves, além das notícias divulgadas sobre o assunto pela assessoria de comunicação do Ministério Público Federal. Foi utilizada a perspectiva teórico-metodo-lógica da argumentação (BRETON, 2003) e a Análise de Cobertura Jornalística (SILVA e MAIA, 2011a, 2011b). Observou-se que a estratégia mais frequente foi a de autoridade, reforçando a noção de legitimação.

Biografia do Autor

Rejane de Oliveira Pozobon

Doutora, professora do Programa de Pós-graduação em Comunicação da Universidade Federal de Santa Maria (UFSM – Rio Grande do Sul).

Kauane Andressa Müller

Mestranda do Programa de Pós-graduação em Comunicação da UFSM.

Referências

BABO-LANÇA, Isabel. A constituição do sentido do acontecimento na experiência pública. Trajectos, Lisboa, n.6, p. 85-94, 2005.

BENETTI, Marcia. O jornalismo como acontecimento. In: BENETTI, Marcia; FONSECA, Virgi-nia Pradelina da Silveira (Org.). Jornalismo e Acontecimento: Mapeamentos críticos. Florianópolis: Editora Insular, 2010. p. 121-142.

BONNEWITZ, Patrice. Primeiras Lições sobre a sociologia de P. Bourdieu. Petrópolis: Vozes, 2003.

BOURDIEU, Pierre. Algumas propriedades do campo. In: ________. Questões de sociolo-gia. Rio de Janeiro: Ed. Marco Zero, 1983.

________. Os usos sociais da ciência: Por uma sociologia clínica do campo científico. São Paulo: Editora da UNESP, 2004.

________. O Poder Simbólico. Rio de Janeiro, Bertrand Brasil, 2007.

BRETON, Philippe. A argumentação na comunicação. Bauru: EDUSC, 2003.

GENRO FILHO, Adelmo. O segredo da pirâmide: Para uma teoria marxista do jornalis-mo. Porto Alegre: Tchê, 1987.

GUAZINA, Liziane. Campos em disputa: jornalismo versus política na cobertura do Jornal Nacional sobre o Escândalo do Mensalão. In: ENCONTRO NACIONAL DE PESQUISADORES EM JORNALISMO, 11., 2013, Brasília. Anais eletrônicos... Brasília: UNB, 2013. Disponível em: <http://soac.bce.unb.br/index.php/ENPJor/XIENPJOR/schedConf/presentations>. Acesso em: 05 mai. 2018.

PAIVA, Raquel; SODRÉ, Muniz. Sobre o facto e o acontecimento. Trajectos, Lisboa, n. 6, p. 95-100, 2005.

QUÉRÉ, Louis. Entre o facto e o sentido: a dualidade do acontecimento. Trajectos, Lisboa, n.6, p.59-75, 2005.

ROSSO, Aline Louize Deliberali; CARREIRÃO, Yan de Souza. O campo político e o campo jornalístico: influências políticas na produção da notícia na Editoria de Política do Diário Catarinense. In: ENCONTRO DA COMPOLÍTICA, 4., 2011, Rio de Janeiro. Anais eletrôni-cos... Rio de Janeiro: UERJ, 2011. Disponível em: <http://www.compolitica.org/home/wp-content/uploads/2011/03/Aline-Rosso.pdf>. Acesso em: 18 set. 2018.

SANTOS, José Manuel. Da perca do mundo à sociedade dos (mega)acontecimentos. Tra-jectos, Lisboa, n.6, p. 77-83, 2005.

SILVA, Gislene; MAIA, Flávia Dourado. Análise de cobertura jornalística: um protocolo me-todológico. Rumores – Revista Online de Comunicação, Linguagem e Mídias, v. 5, n. 10, p. 18-36, jul./dez. 2011a.

________. O método Análise de Cobertura Jornalística na compreensão do crack como acontecimento noticioso. In: LEAL, Bruno Souza; ANTUNES, Elton e VAZ, Paulo Bernardo. Jornalismo e Acontecimento: Percursos metodológicos. Florianópolis: Editora Insular, 2011b. p.37-54.

Publicado
2018-12-27
Seção
Artigos