Revista Brasileira de Ensino de Jornalismo http://www.abejor.org.br/rebej/ojs/index.php/rebej <p>A Revista Brasileira de Ensino de Jornalismo (REBEJ) é uma publicação científica da Associação Brasileira de Ensino em Jornalismo (ABEJ) (www.abejor.org.br/). O periódico é editado em formato digital semestralmente desde 2007. No sistema Qualis a REBEJ está classificada como B3 na área de Comunicação e Informação.</p> <p>A REBEJ prioriza a difusão de conhecimentos produzidos por professores, pesquisadores e cursos de Jornalismo. A cada edição, a REBEJ se propõe a reunir textos, por afinidade temática, destinados às seções de artigos, comunicações e recensões, visando divulgar e promover perspectivas críticas fundamentadas em áreas interdisciplinares do ensino de Jornalismo, tais como Jornalismo e Educação, Jornalismo e Políticas Públicas, Jornalismo e Tecnologias ou Jornalismo e Linguagem.</p> <p>As submissões devem ser realizadas pelo sistema, mediante cadastro, seguindo as "Diretrizes para autores". A seleção de trabalhos a serem publicados em cada edição é realizada por pares sem a identificação do autor.</p> Associação Brasileira de Ensino de Jornalismo (ABEJ) pt-BR Revista Brasileira de Ensino de Jornalismo 1981-4542 <p>Autores que publicam nesta revista concordam com os seguintes termos:</p> <p>a. Autores mantém os direitos autorais e concedem à revista o direito de primeira publicação, com o trabalho simultaneamente licenciado sob a&nbsp;<a href="http://creativecommons.org/licenses/by/3.0/" target="_new">Licença Creative Commons Attribution</a>&nbsp;que permite o compartilhamento do trabalho com reconhecimento da autoria e publicação inicial nesta revista.</p> <p>b. Autores têm autorização para assumir contratos adicionais separadamente, para distribuição não-exclusiva da versão do trabalho publicada nesta revista (ex.: publicar em repositório institucional ou como capítulo de livro), com reconhecimento de autoria e publicação inicial nesta revista.</p> <p>c. Autores têm permissão e são estimulados a publicar e distribuir seu trabalho online (ex.: em repositórios institucionais ou na sua página pessoal) a qualquer ponto antes ou durante o processo editorial, já que isso pode gerar alterações produtivas, bem como aumentar o impacto e a citação do trabalho publicado (Veja&nbsp;<a href="http://opcit.eprints.org/oacitation-biblio.html" target="_new">O Efeito do Acesso Livre</a>).</p> CRIMES DE NEGÃO EM NOME DE SATANÁS: http://www.abejor.org.br/rebej/ojs/index.php/rebej/article/view/367 <p>A temática para este trabalho vem de dois campos que tentarei entrelaçar. A proposta inicial é relacionar representações sociais e semiologia. Trata-se de uma pesquisa que originalmente foi organizada como requisito da disciplina de “Semiologia dos Discursos Mediáticos”, ministrada pelo doutor Antonio Fausto Neto em 1999 para o Mestrado em Ciências Sociais da UEPG. Embora já antigo, o problema parece ainda vibrante como descrição das práticas de mídia que ocorrem nas cidades brasileiras.</p> VICTOR E. FOLQUENING ##submission.copyrightStatement## http://creativecommons.org/licenses/by/4.0 2020-01-24 2020-01-24 1 4 Programa de Estágio Acadêmico em Jornalismo e a Obrigatoriedade do Estágio na Habilitação Profissional http://www.abejor.org.br/rebej/ojs/index.php/rebej/article/view/374 <p>A presente pesquisa aborda a obrigatoriedade ou não da realização do estágio em Jornalismo. Essa questão tem despertado inúmeras polêmicas, pois apesar da proibição legal, o estágio é defendido por muitos estudantes e utilizado como mão-de-obra barata pelos empresários da mídia, além da tolerância de alguns setores sindicais. Aqui discutimos que, independentemente da proibição, o estágio tem um papel pedagógico importante na formação dos novos jornalistas, preparando-os para as exigências do atual mercado de trabalho. Objeto de pesquisa: o Programa de Estágio Acadêmico em Jornalismo do Sindicato dos Jornalistas Profissionais no Estado de São Paulo.</p> Franklin Valverde ##submission.copyrightStatement## http://creativecommons.org/licenses/by/4.0 2020-01-24 2020-01-24 1 4 Mídia e Tecnologias da Comunicação A situação do ciberjornalismo http://www.abejor.org.br/rebej/ojs/index.php/rebej/article/view/373 <p>Este texto faz uma análise de desenvolvimento do ciberjornalismo (também denominado como jornalismo on-line, jornalismo digital e webjornalismo) como forma de produção da informação que provoca o desenvolvimento da comunicação a partir das tecnologias digitais desenvolvidas para a, hoje, chamada mídia internet. O texto pontua os avanços dessa mídia e as características que determinam a ampliação de seu uso pelo <em>consumidor de notícias</em> em detrimento dos meios tradicionais de informação, sem, não obstante, desprezar esses meios, mas ao contrário, realiza a incorporação de suas potencialidades, como texto, imagem e áudio. Essas características do ciberjornalismo demandam e infligem uma nova cultura nas sociedades contemporâneas e influenciam sua política e conseqüentemente sua história, dada a memória que preservam em seus bancos de dados.</p> Gerson Luiz Martins ##submission.copyrightStatement## http://creativecommons.org/licenses/by/4.0 2020-01-24 2020-01-24 1 4 Outro Olhar: http://www.abejor.org.br/rebej/ojs/index.php/rebej/article/view/372 <p>O Projeto foi criado com base em pensamentos e reflexões críticas de autores renomados como Dirceu Fernandes Lopes, José Marques de Melo e Vieira Júnior. Baseado nas discussões desses três doutores, que com suas obras muito contribuíram e contribuem para uma reflexão crítica dessa atividade tão importante, que é a orientação de nossos estudantes para um desempenho profissional íntegro, reto e competente. Assim surgiu o Projeto que marca essa nova fase do <em>Outro Olhar </em>na UFV.</p> Joaquim Sucena Lannes ##submission.copyrightStatement## http://creativecommons.org/licenses/by/4.0 2020-01-24 2020-01-24 1 4 Civic Journalism: http://www.abejor.org.br/rebej/ojs/index.php/rebej/article/view/371 <p>O presente artigo apresenta alguns apontamentos sobre origens do <em>Civic Journalism</em>, a corrente da Imprensa americana que almeja a existência de uma mídia mais propositiva, e menos destrutiva, menos meramente denuncista. A partir de um conceito-chave, Cidadania, explora a visão de diversos autores sobre essa modalidade do fazer jornalístico que, ainda incipiente (seus primórdios datam do final dos anos 80, no século passado), tem se espalhado sobretudo por países da América, repercutindo também, embora em menor escala, na Europa. O texto, que mais adiante será ampliado e fará parte de um livro sobre o tema, em língua portuguesa, indica que a Teoria do Espelho, forte corrente da Imprensa ao longo do século 20, precisa ser rapidamente revista, em favor da coletividade e, em especial, das pessoas comuns.</p> Marcio Fernandes ##submission.copyrightStatement## http://creativecommons.org/licenses/by/4.0 2020-01-24 2020-01-24 1 4 Proposta de Classificação Para Produtos Comunicacionais para Dispositivos Móveis http://www.abejor.org.br/rebej/ojs/index.php/rebej/article/view/370 <p>O acentuado avanço das tecnologias de comunicação em dispositivos de comunicação móveis configuram novas formas de transmissão e recepção de produtos comunicacionais para esta mídia. Nas áreas de marketing, entretenimento, informação e/ou educação, começa a existir uma demanda crescente de geração de produtos e conteúdos que satisfaçam as necessidades dos usuários do sistema. O objetivo deste estudo é analisar e classificar os principais produtos comunicacionais para dispositivos de comunicação móveis com a intenção de entender quais suas possibilidades de aplicações presentes e futuras.</p> Marcos Américo ##submission.copyrightStatement## http://creativecommons.org/licenses/by/4.0 2020-01-24 2020-01-24 1 4 Pressupostos para uma discussão sobre História da Comunicação http://www.abejor.org.br/rebej/ojs/index.php/rebej/article/view/369 <p>O intuito do presente artigo é oferecer alguns marcos teóricos iniciais para o ensino de História da Comunicação em turmas de graduação. Utilizando como principais referenciais reflexões das obras “Como se escreve a história”, de Paul Veyne, e “Uma história social da mídia – de Gutenberg à Internet”, de Asa Briggs e Peter Burke, pretende-se discutir alguns lugares-comuns normalmente repetidos sobre a narrativa histórica, assim como propor pressupostos pedagógicos para se iniciar a reflexão na disciplina.</p> Maura Martins ##submission.copyrightStatement## http://creativecommons.org/licenses/by/4.0 2020-01-24 2020-01-24 1 4 A Folkcomunicação como instrumento de pesquisa nos cursos de Comunicação Social do Nordeste. http://www.abejor.org.br/rebej/ojs/index.php/rebej/article/view/368 <p>Este trabalho é um estudo e uma reflexão acadêmica sobre as atividades de pesquisa universitária realizada entre docentes e discentes no curso de Comunicação Social – habilitação em Jornalismo – da URSA – Universidade R. Sá, em Picos, interior do Piauí. Procuramos mostrar, através dos postulados da teoria da Folkcomunicação como a cultura popular sertaneja é entendida, reverberada e realizada pelos sertanejos piauienses e como vem sendo entendida pela academia. É no Sertão do Piauí, área em que está localizada a universidade, onde os acadêmicos da instituição têm a oportunidade de conhecerem a Teoria e poderem, através da prática, comprovar os postulados de Luiz Beltrão e seguidores da Folkcomunicação, mostrando alternativas de objetos, objetivos, pesquisas e novas metodologias da Pesquisa em Comunicação.</p> Orlando Mauricio de Carvalho Berti Evandro Souza ##submission.copyrightStatement## http://creativecommons.org/licenses/by/4.0 2020-01-24 2020-01-24 1 4